ZA-ZEN

matraga poesias February 14, 2018

Como criança incapacitada da fantasia
e entediada com a monotonia do
sempre igual brinquedo,
num gesto de pouco pensar, lançei
minhas coisas ao ar.

E elas cairam:
o preto no lugar do branco
o azul, no do vermelho;
o verde no do amarelo.
E tudo teve um novo lugar.

Brinquei, mas brinquei pouco.
O gesto me deixou atento:
uma ordem continuava a existir,
proibindo o possível e sua
mutabilidade.

No ensaio de um gesto desesperado,
lanço tudo de novo ao ar:
Agora, já!

E descubro:
O difícil não é mudar a ordem das coisas.
Difícil é mantê-las no ar.
Difícil é mudar as coisas da Ordem.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *