NASCENTE Para minha mãe

matraga poesias February 14, 2018

A água de um olho
geme, germina
escorre, escoa.
Empoça.

A água de um olho
sediciosa, silente
forma por troça
lagoa.

A água de um olho
escorre; esvai
e no ventre da várzea
se espalha,
gigante e farta.

E quem a vê assim
no plácido da tarde
nem imagina o olho,
o olhosinho atoa,
que cheio de manha
enche a lagoa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *